Cleyson Dellcorso

Três dicas da Filosofia para sua felicidade

Filosofia Pratica

A Filosofia vem através dos milênios nos fornecendo lições, que muitas vezes desprezamos, por julgar que é um conhecimento ultrapassado e que não mais se aplica ao século XXI.

Muitos confundem como Filosofia a “História da Filosofia”, em que o ato de filosofar não se trata apenas de conhecer este ou aquele filósofo e não levando em conta que é um conhecimento de base, dinâmico e instigante.

Usamos a Filosofia “de antigamente” nos dias de hoje, e ainda assim, não percebemos que o pensamento crítico e a tentativa em responder perguntas é a essência da Filosofia. Antigamente e hoje.

Talvez hoje, você já tenha utilizado conhecimentos ou princípios estudados pela Filosofia, sem ter se dado conta disso, mas isso falaremos em outra oportunidade. Hoje quero dar três dicas da Filosofia para a sua felicidade.

1 –  Se você confiar em demasia em seu ego, menos confiante você fica

 “Quando removemos o ego, ficamos com o que é real. O que substitui o ego é a humildade, sim – mas a humildade e a confiança duras como pedra. Enquanto o ego é artificial, esse tipo de confiança pode ter peso. Ego é roubado. A confiança é conquistada. O ego é ungido a si mesmo, sua arrogância é um artifício. ” – Ryan Holiday, Ego é o inimigo

Quando olhamos para as mídias sociais de alguns pop stars, aquelas cuja maioria vive num grande esforço de manter as aparências, podemos chegar a confundir confiança com ego. Vemos demonstrações de auto importância, vaidade e até arrogância, e tudo parece uma autoconfiança inabalável.

O que realmente estamos vendo é uma atuação, um fingimento. Atos egoístas são aqueles de alguém que deseja desesperadamente ser confiante, mas não deseja conquistá-lo.

Constantemente o ego busca por reconhecimento, se infla nos elogios e se fere nas críticas. Confiança não é isso, A confiança é resultado de nossos próprios esforços e independe de resultados ou opiniões.

A pessoa autoconfiante não se abala com comentários ou cenários adversos, mas aquelas que somente desejam alimentar o ego entregam suas vidas ao julgamento dos outros.

Quando colocamos tudo na tarefa em questão, podemos aceitar humildemente que tudo o mais está fora de nosso controle. Julgamento e opinião não podem nos atingir. Isso é confiança.

Se alguma vez te voltares para as coisas exteriores por desejares agradar alguém, saiba que perdeste o rumo. Basta que sejas filósofo em todas as circunstâncias. Mas se desejares também parecer filósofo, exibe-te para ti mesmo – será o suficiente.” Epicteto, Enchiridion

2 –  O que você suporta é menos importante do que como você o suporta.

“Você deve saber que os homens bons devem agir da mesma maneira, para não temer problemas e dificuldades, nem lamentar seu destino difícil, para aceitar em boa parte o que quer que lhes sobrevenha e forçá-lo a se tornar uma bênção para eles. Não importa o que você aguenta, mas como você aguenta. ” – Sêneca, Da Providência II

 Coisas fora de nosso controle são frequentemente a fonte de nossa irritação (ou pelo menos as opiniões que formamos sobre elas são).

Não podemos escolher as circunstâncias em que nascemos ou os pais que nos trazem a essas circunstâncias, ou como parecemos ou quão altos somos e assim por diante.

Podemos preferir que as coisas sejam diferentes, mas, em última análise, não podemos mudar o curso do passado.

Embora possamos ser colocados em circunstâncias que não são de nossa escolha, sempre há uma coisa que podemos escolher – como reagimos. Somos chamados a cada dia para fazer o nosso melhor com as ferramentas que recebemos, para ver o que podemos fazer com o que nos vemos tendo de suportar.

Se pudermos enfrentar esse desafio com os braços abertos da coragem, poderemos realizar mudanças positivas para nós mesmos e mostrar que a forma como respondemos é mais importante do que aquilo a que estamos respondendo.

Não são as adversidades que são desejáveis”, escreveu Sêneca. “Mas a coragem para suportá-los.”

3  Admitir erros gera mais confiança do que parecer perfeito.

“Esteja preparado para mudar de ideia se alguém estiver por perto para corrigi-lo e afastá-lo de alguma opinião infundada.”- Marco Aurélio, Meditações 4.12

 Tanto em nossa vida profissional quanto em nossa vida pessoal, pode ser sedutor tentar esconder nossos erros em nome da salvação, mas a desonestidade sempre tem uma maneira estranha de voltar a morder.

Como diz James Altucher : “A honestidade é a maneira mais rápida de evitar que um erro se transforme em um fracasso.”

Aceitar a responsabilidade imediata por um erro e tomar medidas para corrigi-lo significa que você não está constantemente esperando por um tapinha no ombro de alguém armado com evidências para expor algo que você tentou esconder.

Não só isso, seja em um ambiente pessoal ou de trabalho, ser chamado por erros que você não admitiu, ou pior, tentou transferir a culpa por eles, é algo que irá rapidamente corroer a confiança das pessoas em você. Situações como estas minam a confiança e são praticamente irreversíveis.

Seguir uma política de responsabilização por erros significa que as pessoas podem ter certeza de sua integridade. Eles sabem que podem confiar em você e que, se algo for sua culpa, você assumirá a responsabilidade.

Ser franco e honesto também significa que há menos para lembrar e menos para se estressar, pois há apenas uma versão dos eventos – a sua versão, a versão verdadeira. A maneira mais simples de implementar esta lição é pensar em cada ação que você realiza da mesma forma que Marco Aurélio fez em suas Meditações : “Apenas que você faça a coisa certa, o resto não importa.”

Aguardo sua visita em meu Instagram – aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Este site usa cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.