Cleyson Dellcorso

A vida é breve

A vida é breve

Vamos imaginar que um parente distante, um tanto excêntrico, deixe uma herança para você.

Uma herança que a princípio deixará você muito feliz, mas apenas a princípio.

Imagine que sua herança seja receber todos os dias o valor de R$ 86.400,00, porém com uma cláusula expressa: este valor deve ser gasto no mesmo dia. O que restar ao fim do dia em sua conta, você o perderá.

No início, eu creio que será fácil gastar este valor diariamente, porém depois de algum tempo, quase todo o valor recebido diariamente será perdido. Você não terá onde gastar tanto dinheiro em um único dia, todos os dias.

Será frustrante entrar um valor alto em sua conta e ao fim do dia perceber que perdeu grande parte dele.

Vamos deixar agora a imaginação de lado e encarar a realidade.

Você tem 86.400 segundos por dia para utilizar como bem entender e cada segundo que não seja bem vivido, não será mais restituído. Será perdido para sempre.

Aprendamos, pois, a viver intensamente cada momento da nossa vida. Aprendamos a viver o momento presente. Não vamos procrastinar a nossa felicidade e nossos sonhos.

Pensamos como seres eternos.

Agimos e programamos a nossa felicidade para depois – quando fizer 50 anos… quando os filhos casarem… quando me aposentar… semana que vem…na próxima segunda feira…. depois do ano novo…

Parece que vivemos a nos preparar para o futuro sem viver o presente.

Porque esse espaço de tempo que nos é dado transcorre tão veloz, tão rápido, que, com exceção de bem poucos, os demais a vida deixa exatamente nos preparativos para a vida. (Sêneca)

Conversando com várias pessoas, percebo em quase todas elas se preparam para serem felizes “lá na frente” ou, em última análise, ser feliz em um futuro que nem sabemos se existirá. Época em que muitos nem chegarão.

Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. Não nos damos conta do valor de cada minuto em nossa vida, desperdiçamos sem dar o devido valor.

Temos medo de tudo como mortais, mas desejamos tudo como imortais. (Sêneca) – nossos sonhos ficam sempre para depois. Não somos imortais, viva agora.

Uma grande tristeza nos abaterá quando percebermos que o período que deixamos para viver é quando será hora de terminar.

Durante muitos anos tive uma atividade voluntária fazendo visitas a hospitais, para levar uma palavra de conforto às pessoas internadas e em muitas ocasiões percebi que a grande tristeza, o grande arrependimento de suas vidas era o sentimento de: – agora não dá mais!

Não percamos de vista este sentimento, vamos viver e não apenas existir, pois daqui a pouco pode ser que seja este o nosso sentimento: – Agora não dá mais.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Este site usa cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.