Cleyson Dellcorso

Examinando agora para não sofrer depois

   “Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora. Sinto-me como aquela menina que ganhou uma bacia de jabuticabas. As primeiras, ela chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço” (O tempo e as jabuticabas – Rubem Alves)

Neste excelente texto, Rubem Alves faz interessantes reflexões sobre aquela fase da vida em que percebemos que restam poucas jabuticabas em nossa bacia e passamos a examinar como vivemos até aquele momento. Nestas ocasiões o arrependimento se faz presente e o sentimento que surge é: agora não dá mais….

O sentimento de “não dá mais” é cruel e causa um desconforto muito grande naqueles que chegaram naquela fase. Por já ter saboreado multas jabuticabas, quero compartilhar algumas dicas para que, quando elas estiverem terminando, não surjam muitos sentimentos de arrependimento.

  • Como você equilibra trabalho e tempo para a família?

Quantas vezes priorizamos o trabalho em detrimento da família? Um comportamento geralmente auto justificado pela chancela de necessitar de muitos recursos financeiros para manter a “casa”, o que nem sempre é verdade, pois a cada patamar social alcançado, um novo é proposto e, a união familiar pode começar a dissolver com esta prática.

Gastamos a maior parte de nossa vida trabalhando por dinheiro a fim de nos mantermos e a fim de que possamos trabalhar por mais dinheiro. Se permitirmos que nosso trabalho controle nossas vidas, não estaremos realmente ganhando a vida com o trabalho.

Os filhos crescem e podemos nos tonar apenas seus mantenedores em lugar de amigos e parceiros.

  • Atendendo a expectativa que nossos pais têm sobre nós

Sempre é muito bom termos um excelente relacionamento com nossos pais, porém o que não podemos e não devemos é viver conforme a expectativa que eles fazem de nós, tirando do âmbito de nosso julgamento o futuro que imaginamos.

Claro que escutar conselhos dos mais velhos é salutar, mas direcionar a nossa vida conforme desejo dos outros, está longe de uma vida futura feliz.

Em minha área profissional tenho encontrado muitos médicos, engenheiros, advogados infelizes que trilharam por estas profissões apenas para satisfazer o desejo dos pais. Desejos que nasceram nas cabeças deles por não terem tido oportunidade de seguir por aquele caminho.

  • Deixar a saúde em segundo plano

Você já usou alguma destas frases? Segunda feira vou começar a praticar algum esporte. No mês que vem começo a fazer caminhadas pelo meu bairro. Vou parar de fumar no meu aniversário.

Todos nós já as usamos e continuamos usando estas afirmações que nunca cumprimos. Mais tarde, quando as jabuticabas estiverem terminando, estas atitudes cobrarão o seu preço e, na melhor das hipóteses, surgirão alguns problemas físicos inconvenientes que poderiam ser evitados com algum tipo de prática física ao longo do tempo.

  • Não cultivar as amizades

Amigos auxiliam a escrever a nossa história.

Você ainda mantém contato com colegas do ensino médio? E da faculdade? Você ainda encontra amigos da adolescência?

Nunca se esqueça que eles fizeram parte de sua vida, você os influenciou assim como eles influenciaram você. Portanto existe um pouco de cada um no outro. Por qual motivo estar longe então? Perderam-se pelo caminho?  Não se esqueça que este argumento não se aplica mais em tempos de Internet.

No futuro, você sentirá falta deles e o sentimento será, mais uma vez: “não dá mais…”

  • Qual o legado que você deixará às gerações futuras?

Certa vez conversando com um senhor de idade muito avançada escutei dele, com voz embargada:  daqui alguns anos ninguém se lembrará mais de mim. Não vou deixar nada para meus netos e bisnetos, apenas uma boa situação financeira….

Não seremos lembrados pelos bens materiais, mas pelas modificações que fizemos no mundo ao nosso redor. No que deixamos na memória das pessoas. O quanto oferecemos nosso ombro amigo.

O que você pretende deixar por aqui?  Do que as pessoas, no futuro, se lembrarão de você?

Pare um pouco e faça uma boa reflexão, tenha sua Vida Examinada e veja se não está deixando para depois, o que deve ser feito agora, pois quando menos perceber estará roendo o caroço e com saudades das jabuticabas suculentas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.