Cleyson Dellcorso

5 hábitos que diminuem a sua resiliência

Ter baixa resiliência pode significar que a pessoa é emocionalmente frágil o que de forma genérica podemos dizer que tem dificuldade em controlar emoções difíceis, como por exemplo:

  • Pequenas preocupações causam ansiedade
  • Pequenas situações de tristeza aumentam a autocrítica
  • Pequenas irritações se transformam em horas ou dias de raiva

Pequenas emoções afetam muito você se estiver emocionalmente frágil e isto interfere, em muito, em sua resiliência.

Não é difícil “subir a régua” de seu padrão de fragilidade emocional, o principio está em ter mais controle de suas emoções, o que consegue melhorando o seu relacionamento com elas.

Muitas pessoas têm medo de enfrentar suas emoções e adquirem o hábito de fugir ou tentar se livrar delas., o que em outras palavras, a pessoa está treinando seu cérebro para identificá-las como perigosas o que as torna emocionalmente frágeis.

Se você quiser se sentir forte diante de emoções difíceis, perca o medo delas.

Se as vezes você se sente frágil emocionalmente, não se preocupe – é normal, mas se isto acontece com mais frequência do que deseja, quero compartilhar com você algumas causas. Se tomar atenção nelas, certamente você se se sentirá melhor e sua resiliência aumentará:

 1-Confie em seus pensamentos

 Você confia igualmente em todas as pessoas que conhece? Creio que não. Cada pessoa você tem um nível de confiança diferente. Pense nestas pessoas: o (a) melhor amigo (a), seus colegas de trabalho, um vendedor de carros usados etc. Cada um você confia em um nível diferente. *Faça o mesmo com seus próprios pensamentos

Nem todos os pensamentos merecem a mesma confiança

Passam por sua mente milhares de pensamentos a cada dia, muitos dos quais são precisos e úteis, mas muitos deles também são equivocados, aleatórios ou totalmente falsos. Isso é completamente normal.

Se aceitar todos os pensamentos como verdadeiros, certamente seu grau de ansiedade aumentará. Se fantasiar momentos de vingança contra pessoas que o desagradaram, ficará agressivo. Se aceitar toda autocritica como verdadeira vais acabar com sua autoestima muito baixa.

Pessoas emocionalmente resilientes entendem que não devem confiar cegamente em cada pensamento que passa por sua mente.

 Em vez de ser seus pensamentos e emoções, seja a consciência por trás deles. (Eckhart Tolle)

2- Quebrando promessas a si mesmo

 Pessoas emocionalmente frágeis frequentemente lutam contra a baixa autoestima.

E embora existam muitas causas iniciais para a baixa autoestima, há uma coisa que quase sempre mantém as pessoas presas a ela

Pessoas com baixa autoestima crônica geralmente adquirem o hábito de quebrar promessas feitas a si mesmas

Pense nisso: se você frequentemente quebra as promessas que faz a si mesmo, como pode confiar em si mesmo?

A baixa autoestima e a fragilidade emocional andam juntas porque é difícil administrar sentimentos dolorosos com confiança se você não acredita em si mesmo, pois é difícil dizer a si mesmo que tudo ficará bem se você mesmo não acredita em você, será difícil se lembrar de suas qualidades se o que lembra são apenas promessas quebradas e será muito difícil lidar com a autocritica e as dúvidas se não acredita em si mesmo.

Uma forma poderosa de lutar contra a fragilidade emocional é começar a cumprir as promessas feitas a si mesmo

3- Acompanhando os outros

Não há nada de errado em ser fácil às vezes. Mas se você sempre se pega seguindo a moda e seguindo a liderança dos outros, provavelmente está se mantendo emocionalmente frágil.

Quando você habitualmente adia seus próprios desejos e necessidades para outras pessoas, está mentindo para si mesmo e para os outros sobre seus verdadeiros desejos e valores.

Quer alguns exemplos de seguir os outros, mesmo contra sua vontade?

Pense nisso: Você vai com um amigo ou amiga a um restaurante pede o mesmo prato dele (mesmo que não goste muito) apenas para não se sentir diferente. Aceita atribuições novas no seu trabalho sem expor que está com sobrecarga ou ainda aceita pessoas com quem não tem bom entrosamento em uma recepção em sua casa, apenas para não “ficar chato”.

São situações que não são verdadeiras, portanto, – uma mentira – que no final poderá prejudicar você e ao outros.

Se você deseja criar coragem para ser mais você mesmo e expressar o que realmente deseja com confiança, pratique a assertividade, isto é, estar disposto (a) a expressar seus pensamentos como eles realmente são. Isto é treino.

Pode parecer estranho e assustador no início, mas ser honesto sobre o que você realmente quer melhorará todos os seus relacionamentos – especialmente o seu relacionamento consigo mesmo.

O privilégio de uma vida é ser quem você é. (Joseph Campbell)

4-Ser crítico consigo mesmo

É um fato triste que a maioria das pessoas cresce aprendendo que a única maneira de se motivar adequadamente é “ser duro” consigo mesmo.

E porque nossas famílias e cultura glorificam o desempenho e o sucesso (especialmente o sucesso acadêmico), acabamos tendo nosso valor próprio atrelado à nossa capacidade de realizar e ter sucesso. Portanto, passamos a confiar demais no julgamento e na autocrítica como motivadores.

Isto traz consequências a médio prazo.

Quando você é constantemente crítico consigo mesmo, começa a sentir que nada é bom o suficiente. Então você se dobra e fica ainda mais duro, o que, é claro, só faz você se sentir pior.

Para gerenciar suas emoções de forma saudável seja gentil e compreensivo consigo mesmo, quando nos julgamos demais, somos carrascos de nós mesmos o que faz nos sentir medo, isto traz falta de confiança e entusiasmo.

Comece a praticar um pouco de autocompaixão e você se sentirá muito mais resistente do que jamais imaginou ser possível.

Se a sua compaixão não inclui você, ela não é completa. (Jack Kornfield)

5. Ficar ocupado o tempo todo

Um dos hábitos menos conhecidos que leva à fragilidade emocional é manter-se constantemente ocupado.

Pessoas com esse hábito nunca perdem um minuto sem ter algo para fazer. E eles mantêm suas agendas tão lotadas que nunca têm nenhum espaço para tempo de inatividade mental e a chance de ficarem sozinhos com seus próprios pensamentos.

Embora essa atividade e preocupação constantes possam fazer você se sentir produtivo, muitas vezes é apenas uma máscara para algo que não é saudável:

A ocupação constante é um mecanismo de defesa primitivo para evitar sentimentos dolorosos.

 É bom manter-se ocupado, porém não todo o tempo. É fundamental que tenhamos momentos só nosso quer seja para uma caminhada, meditação ou simplesmente olhar as estrelas. Muito bom também é manter um hobby.

A ocupação constante ajuda temporariamente a evitar essas dores, mas nunca realmente as trata.

Negócios crônicos são uma forma de procrastinação emocional – adiar o árduo trabalho de lidar com sentimentos dolorosos por ter sempre algo para fazer.

No final das contas, se você quiser encerrar o ciclo de fragilidade emocional e se tornar mais resiliente, terá que começar a enfrentar seus medos e lidar com eles de frente.

Não há nada com que o homem ocupado esteja menos ocupado do que viver (Sêneca)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.